Pense como um designer.



No mundo do nexo, podemos aproveitar a maneira de pensar de vários profissionais para nos ajudar na solução de problemas.  O importante é você saber fazer as conexões corretamente. O mestre em dicas de apresentações, Garr Reynolds, do site Presentation Zen, acredita que podemos aprender muito com a cabeça dos designers.
Será mesmo? Imagine médico, advogado, engenheiro, publicitário, administrador, professor pensando como um designer gráfico ou um designer interativo. Como estudantes ou pessoas comuns poderiam adicionar valor em sua maneira de pensar se raciocinassem como a maioria dos designers?
Reynolds está preparando um livro sobre o tema. Para antecipar, conheça as 10 dicas para você pensar como um designer:
Dica 1: Encare as restrições.  Restrições e limitações são aliadas maravilhosas para quem precisa pensar de maneira criativa e ter soluções geniais, que sem as restrições jamais poderiam ser descobertas ou inventadas.
Dica 2: Seja disciplinado. Qualquer idiota poderia se complicar se adicionasse mais e mais coisas. A tentação é grande quando vamos resolver algo. É preciso ter autocontrole e força de vontade para tomar decisões sobre o que deve ser incluído e o que deve ser excluído. 
Dica 3: Pense como um iniciante. Na mente do especialista há poucas opções ou possibilidades, mas para um iniciante, o mundo é vasto, sem fronteiras. Os designers entendem a necessidade de assumir riscos, especialmente na fase inicial de exploração de um problema. Eles não tem medo de quebrar regras. Os bons designers são mentes abertas e lidam bem com a ambigüidade mesmo no inicio do processo. Essa é a maneira como se consegue fazer descobertas.
Dica 4: Deixe o seu ego lá fora. Pense como seus clientes, seus alunos, quem precisa de você. Veja o problema pela ótica deles.  Isso não é fácil. Precisará de empatia. Colocar-se no lugar deles. A empatia é uma competência sub-valorizada nas empresas, mas pode ser um diferencial na hora de compreender um problema.
Dica 5: Foque na experiência do design.  Não é a coisa em si, mas a experiência da coisa. Isso tem a ver com a dica 4. Coloque-se no lugar dos seus clientes. Observe como eles interagem com a sua solução. Lembre-se que muito do design tem um lado emocional. As vezes, é o principal componente da solução. Não seja negligente com o aspecto emocional de suas soluções.
Dica 6: Seja um contador de histórias. Frequentemente não é o design em si – ou seja, a solução para o problema – que é o mais importante. E sim a história dele. Qual o significado da solução? Pratique a ilustração do significado da solução, tanto verbalmente quanto graficamente.  Comece falando do geral para o particular, mostre como era antes, e volte para a solução atual.
Dica 7: Pense em comunicação e não em decoração. O design – mesmo o design gráfico – não é sobre deixar as coisas bonitas. Design também não é somente aestético, embora o aestético seja importante. Design é sobre resolver problemas ou como tornar o hoje melhor do que ontem. Design não é arte, embora haja arte no design.
Dica 8: Seja obsessivo com as idéias e não com as ferramentas. As ferramentas são importantes e necessárias, mas elas vão e vem. Embora muitas ferramentas sejam efêmeras, algumas das suas melhores sejam mais simples como caneta e um pedaço de papel. Talvez, o melhor conselho é ser analógico nos estágios iniciais do pensamento.
Dica 9: Deixe claro suas intenções. Design é sobre escolhas e intenções, não é uma coisa acidental. Design é um processo.  O usuário final pode não perceber o design em si. Ele acha apenas que as coisas funcionam por si mesmas. Mas você sabe que o “fácil de usar”, “fácil de entender” não ocorre por acaso. Foi resultado de escolhas e decisões corretas.
Dica  10: Ajuste a sua visão e curiosidade e aprenda com as coisas ao seu redor. Bons designers são bons observadores. Eles são capazes de ver tanto a grande angular quanto o detalhe do mundo a sua volta. Os humanos tendem a buscar padrões. O design é um processo cerebral.  Portanto, você é naturalmente criativo, prático, racional, analítico, tem empatia, é apaixonado. Cultive essas atitudes em você.
dica bônus ou 11 fala exatamente de saber quebrar as regras, saber quando e por que quebrá-las. Muitos profissionais bem sucedidos são aqueles que sabem quebrar paradigmas, regras existentes e dicas como essas acima. Diferente de outras leis, essas podem e devem ser revistas para que a inovação aconteça. Você tem que saber por que quebrá-las. 
Essas são apenas algumas das coisas que os designers podem nos ensinar. Você se lembra de mais algumas?  Compartilhe conosco.

Postar um comentário

0 Comentários